“Bem Vindos”

Com esse intuito nasceu nossa primeira exposição coletiva do ano na Galeria Celeiro. Um roteiro visual e plástico de ideias e movimentos que passam pelas artes plásticas, moda, design, música e ocupações ambientais. Artistas chegam e artes se renovam. Fragmentos desse liquidificador contemporâneo de existência materializado durante dois meses em Itaipu – Niterói – RJ.

Atitudes, formas, estudos e respostas além das angústias do tempo fazem parte desse “apanhado” de ideias e ações. Um transbordo artístico do sentido inovador e íntimo de soluções para um mundo melhor. “Bem Vindos” é para celebrar o despertar da troca, do verbo, do compartilhar ideias, bits, movimentos, intimidade e expressões.

Bem vinda a artista Débora Injah que apresenta nesse dia sua coleção “Sereia” que transcende o poder feminino, mítico e urbano. Com um sentido mitológico a artista Injah explora a moda, arte e espiritualidade. Resgatando os seres ‘misteriosos’ manualmente para transformar em “Roupa Arte” suas peças.

Bem vindo a performance musical que acompanha o trabalho do artista Lucas Benevides. Um instante de interação analógica e digital para compor um novo trabalho. O artista convida o músico Lucas Pires que executará em 20 minutos uma peça sonora de interpretação subjetiva sobre um conjunto de fotos selecionadas por Benevides.

Bem Vindo Lucas Ururahy, que apresenta sua arte urbana com referências naturais e ancestrais de sua vivência familiar e caiçara.

Bem Vindo Alberto Pereira, artista urbano que usa o lambe-lambe como suporte para seus cortes, recortes, colagens e ressignificados históricos, que permeiam questões raciais e religiosas.

Bem vinda Camila Camiz, ilustradora e grafiteira. Que estuda a inversão do paradoxo de claro e escuro, desassociando o contexto maniqueísta e da carga racista. A representação do feminino e o traçado característico faz com que a arte de Camiz leve o espectador para perto da dor, da angústia, da sexualidade, da beleza e da mágica das figuras de mulheres potentes. Trabalha a emoção e não a forma.

Bem vindo ao som da Tomba Dub Duo um braço da Tomba Orquestra que vem explorando o mais puro reggae dub jamaicano em seu último EP Sombras. E bem vindo ao parceiro musical João Pinaud que encerra essa noite com muito soul, phunk e disco.

Bem vindos todos os tempos, suporte e ideias.

Artistas _
Alberto Pereira, Albenzio, Bianca Weber, Camiz Camila, Cesar Coelho, Cristiano Preas, Davi Baltar, Débora Injah, Fábio Tenório, Fernando Jose (Cazé), Gustavo Duarte, Guilherme Kid, Lucas Benevides, Lucas Pires, Lucas Ururahy, Paulo Gomes, Rodrigo Vianna, Tito Senna e Wilbor

Artistas

Alberto Pereira

Alberto Pereira é artista de rua nascido no Rio de Janeiro e criado entre Niterói, Rio de Janeiro, Brasília e Angra dos Reis. Alberto cria imagens a partir de imagens. Cria textos. Explora contextos. Ressignifica as coisas, brinca com camadas, pesos e proporções. Às vezes até inverter, torcer até que a própria coisa se torne outra. E nesse jogo de coisas, a busca é por tocar a mente e o coração de quem vê, para que esse tanto de tudo vire um pouco de sentimento.

@albertopereira

Albenzio Almeida

Albenzio Almeida – Nascido em Niterói – RJ, Albenzio Almeida é artista plástico, pesquisador de materiais, técnicas rusticas e atuante em movimentos sustentáveis.

@albenzio_almeida

Bianca Weber

Bianca Weber, carioca, artista e designer formada em Desenho Industrial pela Puc-Rio, com curso de extensão na Art Center College of art (California) e pós-graduada em Design de estamparia pelo Senai Cetiqt.Retrata suas viagens ao redor do mundo em ilustrações e painéis artísticos inspirados na Índia,Turquia, N.Y, Belize, México, Cuba.

@bwdesignestampa

Camila Camiz

Camila Camiz, ilustradora e grafiteira nascida na Zona Norte do Rio de Janeiro. Conheceu o graffiti na sua adolescência quando começou a frequentar rodas de rima e rap na rua. Em suas obras e intervenções luz e escuridão são trabalhados como aliados e não como oponentes num campo de batalha, onde o branco usualmente significa o bem e o negro representa todo o mal. Camila Camiz procura a inversão do paradoxo de claro e escuro, a desconstrução da etimologia, a desassociação do contexto maniqueísta e da carga racista, invertendo a função esperada para o branco e para o preto, refazendo assim os sentidos. As escolhas das cores, a representação do feminino e o traçado característico faz com que a arte de Camila Camiz traga o espectador para perto da dor, da angústia, da sexualidade, da beleza e da mágica figuras dessas mulheres potentes.

@camilacamiz

César Coelho

O artista plástico César Coelho, conhecido há mais de 30 anos no mercado de moda e arte, com exposições nacionais e internacionais e obras em acervos como do Museu Histórico Nacional, apresenta seus quadros na exposição Corpo, massa e pigmento, formas diluídas e pinceladas espontâneas sobre o universo humano oculto pela leveza de sua personalidade.

@cesarcoelhogomesarte

Fernando José aka Cazé

Cazé é um artista versátil que transita entre o grafite, a pintura a óleo, a ilustração e a animação. É formado em Design, Character Design e Direção de Arte. É autodidata em Motion Design e Graffiti. No momento realiza curso de pintura clássica. A sua arte já foi exibida em mais de 10 exposições e, atualmente, desenvolve os projetos: Graffiti em Debate, Ladeira do Castro e 366 Barbudinhos.

@cazearte

Cristiano Preas

Cristiano Preas, nasceu e vive no Rio de Janeiro, é autodidata. Grafiteiro, pintor, ilustrador, tem como inspiração a rua, a cidade, o seu dia a dia, as relações interpessoais, o mundo e a própria Arte em geral. No final da década de 90, Preas começou a produzir sua arte pelas Ruas e atualmente sua linguagem reflete uma forte influência mista da arte geométrica com a figurativa. Com uma sensibilidade e habilidade pessoal de combinar traços, cores e formas em suas composições, vai estampando no ambiente urbano, telas e outros suportes, suas letras de graffiti, seus personagens, suas idéias estéticas e críticas sociais com imaginação e criatividade.

@cristianopreas

Davi Baltar

Davi Baltar (Davi) é grafiteiro da cidade de Niterói-RJ, e atua nas ruas desde 2006. Tem como foco principal de seu trabalho personagens do cotidiano das ruas, que a própria vivência do graffiti traz para o convívio, e procura imprimir um traço semelhante a seus desenhos nas paredes, fruto de suas “anotações” do dia-a-dia. Faz parte do grupo Mafia 44, coletivo de artistas de Niterói e São Gonçalo, que surgiu no início de 2008 e que permanece até hoje produzindo murais, eventos e ministrando oficinas para diversos públicos, de forma independente ou com apoios.

@davi.baltar

Débora Injah

Débora Injah consegue ser ao mesmo tempo panfletária e despretensiosa. Do ativismo político ao resgate do sagrado, suas obras celebram a liberdade inegociável da criação artística, recusando tornar-se mais acessível ao gosto comum- da mesma forma que não se submete as cartilhas ideológicas pré-moldadas que tanto se proliferam no cenário cultural da atualidade. Sim, estamos vivendo tempos normativos, onde ideologias avançam disfarçadas de insurreição, e que não passam de mais outra faceta da velha forma de poder: sectária, hierárquica e hegemonista. Injah dança sobre os escombros dessas ideologias obsoletas, enfrentando as questões cruciais do novo tempo de forma absolutamente genuína, orgânica e diversa.

@deborainjah

Fábio Tenório

Fábio Tenório tem sua formação gráfica com uma combinação de cartuns, personagens de ficção científica misturados com elementos abstratos geométricos, influência adquirida quando estudou pintura contemporânea na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Formado em Design Gráfico e mestrou Ilustração em Portugal. Sua produção esteve presente em várias exposições individuais e coletivas em Portugal, Itália, Suíça e no Brasil como no Centro Cultural Justiça Federal, Centro Cultural dos Correios e no MAR – Museu de Arte do Rio.

@biritaillustration

Gustavo Duarte

Gustavo Duarte nasceu em Niterói em 1970. Graduado em comunicação visual pela Faculdade da Cidade, no Rio de Janeiro e licenciatura em artes pela Universo. Estudou arte contemporânea com o prof. Ricardo Maurício, estética da comunicação e história da arte ministrado por Fernando Cocchiarale na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, arte contemporânea ministrado por Nelson Felix, técnicas de impressão na Parson school of Design em Nova York e estética industrial do séc. XX na ESDI no Rio de Janeiro.
É sócio da produtora de cinema e design Plus Ultra. Participa desde 1997 de exposições e mostras de vídeo no Brasil e no exterior. Seus últimos trabalhos foram apresentados na exposição individual PVC, no Museu de Arte de Ribeirão Preto e no MAC com um live session em vídeo.

@guplusultra

Guilherme Kid

Guilherme Kid, grafiteiro, artista visual e ilustrador, teve o primeiro contato com graffiti em 2008 através da igreja que fazia parte. Bomb, personagens, eram seus traços. Até que em 2012 começou a fazer pinturas em preto e branco de latex e pincel, daí sua veia artística veio a tona e influenciado seu estilo até hoje.
Sua arte tem com tema elementos da natureza. Retrata matrizes diversas da cultura brasileira com muita influência da cultura afro do nosso país.

@guilherme_kid

Lucas Benevides

Lucas Benevides é de Niterói, aprendeu sobre fotografia na sociedade fluminense de fotografia, estudou montagem na escola de cinema darcy ribeiro, estudou processo criativo no parque lage e trabalha como fotojornalista a 5 anos. “Racionalcriativo” é a compilação de trabalhos realizados na pesquisa de linguagem que o fotógrafo vem desenvolvendo, através de dogmas impostos no processo criativo, que ajudam a dar unidade e narrativa ao conteúdo. ( racionalcriativo.tumblr.com ).

@lcsbenevides

Lucas Ururahy aka Ururah

Nascido no bairro de Sepetiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi inspirado pelo histórico familiar, pois seu avô que era artesão local, construía barcos e objetos decorativos de fibra de vidro na região. Ururah exprime em seu trabalho referências de elementos da natureza e vivências territoriais, através da simplicidade das formas para expressar a sua ancestralidade em busca por autoconhecimento, utilizando técnicas e elementos visuais que permeiam a arte rupestre e arte urbana.

@Ururah

Paulo Gomes

Natural de Niterói, Rio de Janeiro que teve proximidade com a câmera desde a infância. Paulo que é autodidata, escolheu a fotografia de natureza (meio ambiente, Fauna e Flora) e atualmente desenvolve o projeto “SUNRISE AT TUCUNS BEACH” inspirado pela paisagem da paradisíaca praia dos Tucuns, na cidade de Armação dos Búzios. Neste projeto ele utiliza meios não convencionais de impressão, como: Wood transfer sobre madeiras de demolição, remos e fragmentos de embarcações dos pescadores nativos. Com um olhar crítico e poético, coloca todo seu sentimento, suas experiências de vida e sua inquietação pessoal em cada obra.

@paulogomes

Rodrigo Viana

Nascido e criado no Rio de Janeiro, onde através do skate descobriu outras formas de enxergar as ruas, explorar todo o seu contexto e ir sempre além do óbvio. Descobriu o processo artístico de explorar as câmeras analógicas passando a dedicar-se à imagens em preto e branco. Hoje suas fotografias são facilmente identificadas pela técnica de Auto Contraste e inserção de formas geométricas.

@rviana84

Tito Senna

Artista carioca com exposição atual Trajetórias na GaleRio, vem trabalhando o graffiti como objeto integrante do espaço. Sua proposta ultrapassa os limites da parede. Seu trabalho consiste na tríade entre o artista, obra e a urbis: reflexo da experiência multidisciplinar com arte, graffiti e design.

@titosenna

Wilbor – Wilson Domingues

É carioca, artista visual, diretor de filmes. Dirigiu atuou e produziu o primeiro vídeo de streetskate carioca “021 RSRJ” 59min. lançado em 2002 na época em VHS. Em 2007 lançou o “Sangue e Suor” 40min. também sobre a cena de skate carioca, exibido na Holanda no festival independente “Camera Mundo”. Fundador do Coletivo XV, responsável pela legalização do skate na Praça XV ocupada pelo skate de rua desde 1997 e de 2011 até os dias atuais promovem eventos da cultura do skate no local além de inclusão de mobiliários urbanos para o skate e outros usos. Foi curador e produtor na coletiva “República do Skate” em 2011 no Museu da República. Participou da coletiva internacional “Deslize” no Museu de Arte do Rio em 2013 com suas xilogravuras onde usa as madeiras de skate como matriz e videoarte além de ser curador da sessão de filmes de skate. Tem peças de arte no acervo do Skate em Berlim. Participou da coletiva “Mocambo” 2013 também em Berlin. Teve trabalhos exibidos na Romênia e China. Fez uma individual “Carve” em Nova Iorque em 2015. É artista residente do Despina, “Largo das Artes”.

@wilbordomina

Foto imprensa: Bruno Ronsini

Exposição_
Tema da exposição: “Coletiva Bem Vindos”.
Curadoria: Galeria Celeiro e Flávio Lazarino

Datas_visitação_
15/07 -2017 até 02/09 -2017
Horário de funcionamento: Terça a sexta, das 14h as 20h ( horário flexível )

Local_
Shopping Piazza – Francisco da Cruz Nunes, 3095, Loja 223 , Itaipu, 24350-310 Niterói
Tel: 55 21 36202112 – 55 21 992854698

+ www.instagram.com/galeriaceleiro
+ www.fb.com/galeriaceleiro

Cadastre-se na Galeria Celeiro:


Para receber informações sobre exposições, cursos, acervo, live e ideias.

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)